30/10/2014

Editorial


21 & 22 + TRAUMA e VIOLÊNCIA (POR VIOLETA HANONO)
nota estendida sobre os Seminários/Conferências de AMEs e a ironia,
 seguida de uma breve notícia sobre as Mesas Simultâneas e um vídeo



Sérgio Laia -  Coord. da Comissão Científica do XX EBCF


Em outro Editorial, pude anunciar que nove Analistas Membros da Escola (AMEs) vão apresentar, no próximo dia 21 de novembro, Seminários e Conferências para os inscritos no XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano, bem como pude listar os títulos dessas atividades, o nome desses colegas, a novidade que elas comportam e como fazer para delas participar. Agora, neste número do esseOesse, vocês poderão ler as ementas e algumas referências bibliográficas desses Seminários e Conferências para que definam suas escolhas.

Trauma e corpo – automutilação, consistência e amarração

Museu Nacional de Berlim,
Coleção de Antiguidades Clássicas, c. 460 A.C.
SEMINÁRIO
21 de novembro de 2014
14h  às 20h
Salão Chrysoberyl

Cristina Drummond

Se o estádio do espelho se consistiu numa aparelhagem privilegiada no ensino de Lacan para localizar o pulsional no corpo levando em conta o simbólico e o imaginário, na época do real sem lei ele não dá conta das diversas soluções que os sujeitos encontram para fazer laço entre corpo e palavra.

O mal e suas vicissitudes nos corpos e na vida

 Adam & Eva (Der Sündenfall)
Lucas Cranach d. Ä. (1472 Kronach – 1553 Weimar)
Wittenberg, c. 1537 © KHM mit MVK und ÖTM
Kunsthistorisches Museum 
SEMINÁRIO
21 de novembro de 2014
14h  às 20h
Salão Aquamarine

Sandra Grostein

Trata-se de contextualizar e, se possível responder, uma das questões levantadas pela Comissão Científica deste Encontro a partir do eixo temático “O Mal, sua marca nos corpos e a vida”: “Considerando que há modos de gozo que mortificam os corpos, mas que tampouco há vida em corpos apartados do gozo, como a vida pode ainda resistir aos malefícios de certos modos de gozo alojados nos corpos?”

O troumatismo e os corpos

Gaudi, Escadas: Catedral da Sagrada Familia, Barcelona
SEMINÁRIO
21 de novembro de 2014
14h às 17h
Salão Aventurin

Bernardino Horne

Troumatismo é um termo criado por Lacan e que interpola "trauma" e "furo" (trou, em francês).

Sintoma: nos corpos e na cidade – ato analítico e ação lacaniana

Banksy, "Bouquet Grenade" West Bank, Israel, 2009
SEMINÁRIO
21 de novembro de 2014
14h às 17h
Salão Alexandrite

Ana Lúcia Lutterbach Holck

O que poderia, juntamente com o ato analítico tal como Lacan o definiu, ganhar lugar como ação psicanalítica, ou mesmo, ousaria dizer, como ação lacaniana, que pudesse propiciar, deste ato, suas consequências na sociedade? (...) Este é certamente o campo que de agora em diante se abre para nós
Jacques-Alain Miller

Homens, mulheres, corpos que falam

Maurits Cornelis Escher, Bond of Union, 1956
SEMINÁRIO
21 de novembro de 2014
17h15min às 20h15min
Salão Aventurin

Elisa Alvarenga

Freud, em “Análise terminável e interminável”, considera que três fatores são decisivos para o êxito de um tratamento analítico: a influência dos traumas, a intensidade das pulsões e as alterações do eu.

Trauma e violência na clínica, na arte e no cinema

Georges Melies, Le voyage dans la lune, 1902
SEMINÁRIO
21 de novembro de 2014
17h15min às 20h15min
Salão Alexandrite

Maria do Carmo Dias Batista

O momento traumático e o ato violento serão abordados a partir da mediação oferecida pela fala na sessão analítica, pela imagem na obra de arte e pela conjunção imagem-palavra no cinema.

Por que a violência?

Stanley Kubrick, Laranja Mecânica, 1971
CONFERÊNCIAS DE AMEs
21 de novembro de 2014
14h às 16h
Dayrell Theatre

Francisco Paes Barreto

É possível, no campo aberto por Freud, radicalizado por Lacan e elucidado por Miller, uma leitura do aumento da violência que se verifica no mundo contemporâneo, e com especial intensidade e algumas particularidades, no Brasil.

A violência e o feminino

Johann Ulrich Krauss, "Tiresias" in The metamorphoses
of Ovid,  c. 1690
CONFERÊNCIAS DE AMEs
Dia 21 de novembro de 2014
16h15min às 18h15min
Dayrell Theatre

Heloísa Caldas

Fala-se muito em violência contra a mulher. Vamos preferir, nesta conferência, relacionar a violência, de forma mais lacaniana, ao feminino cuja conceituação, com Lacan, descola-se do corpo anatômico e da categoria de gênero.

Contribuições para uma leitura da ex-sistência do corpo a partir da topologia

Anéis borromeanos
CONFERÊNCIAS DE AMEs
21 de novembro de 2014
18h30min às 20h30min
Dayrell Theatre

Luiz Henrique Vidigal

Nos últimos seminários há uma crescente preocupação de Lacan com a questão do corpo, ao mesmo tempo em que a topologia assume um papel importante na tarefa de levar adiante a psicanálise.

Enquadre e tratamento da violência e do trauma na obra de Julieta Hanono

 A obra de Julieta Hanono e o que ela pôde enquadrar e tratar quanto à violência e o trauma 

Criação e montagem: Isabel do Rêgo Barros Duarte, em colaboração com Flávia Corpas
Filmagem e Ediçao: Felippe Cesar Marins
Som: Bruno Sarmet

22/10/2014

Editorial

Henri Kaufmanner - Diretor do XX EBCF

A arte esta mais além do simbólico.
Se o simbólico esta no principio do fazer, a arte é um saber fazer... Há mais verdade na arte do que em qualquer blá blá blá.... Ela não tem nada de pré verbal, ela é verbal a segunda potência!!!! (Lacan, L’une-bévue)

Uma carta chega ao seu destino

Rio de Janeiro, 29 de agosto de 2014

De: Leila Danziger
Para: Comissão Organizadora do XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano





Apoio:

O que desaparece, o que resiste

"Pallaksch. Pallaksch.", Leila Danziger
Fátima Pinheiro

A arte hoje em dia não responde ao apelo da forma.  Isto implica que nos encontramos diante de um experimentalismo que propicia códigos inéditos, acompanhados de uma diversidade de propostas, técnicas e matérias[1].

A arte esta do lado do segregado, do vencido

Fátima Pinheiro entrevista a artista Leila Danziger

Imagem e Ediçao: Lourenço Astúa de Moraes

A Festa do Encontro é GÃ!

Festa Gã
Comissão de acolhimento


Eu queria decifrar as coisas que são importantes. E estou contando não é uma vida de sertanejo, seja se for jagunço, mas a matéria vertente. Queria entender do medo e da coragem e da que empurra a gente para fazer tantos atos, dar corpo ao suceder.
(Guimarães Rosa em Grande Sertão Veredas).

Livraria do XX EBCF

Esses gerais são sem tamanho. Enfim, cada um o que quer aprova, o senhor sabe: pão ou pães, é questão de opiniães... O sertão está em toda parte. (Guimarães Rosa, Grande Sertão Veredas).

13/10/2014

Editorial

Neste esseOesse 10, leiam os textos de Ondina Machado, Bartyra de Castro e Nancy Greca, que nos oferecem os batimentos do tema de nosso XX EBCF, de leste a oeste e de norte a sul do Brasil.
Como condensador do Um de nossa escola apresentamos a entrevista que Luiz Fernando Carrijo, Presidente da EBP, concedeu a Marcelo Veras, e no Vídeo de Rua, a música que a cidade canta para pensar a violência e os tratamentos possíveis a ela. E por falar em tratamento possível, na aba Evento Cartéis, a entrevista de Sérgio Campos sobre o amor e o final da análise para os homens e, mais ainda, um vídeo com as palavras duas mulheres Ana Lúcia Lutherbach e Ana Aromí, sobre o amor após o fim da análise. Esses temas nos interessam, eles se entrecruzam nas articulações epistêmicas, clínicas e políticas deste XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano.

Entrevista com Sérgio de Campos

Sérgio de Campos, lançamento do seu livro 'Passema'
Editora Scriptum
Evento Cartéis:  por Inês Seabra

Inês Seabra: Nossas investigações sobre as mutações do amor ao final de análise nos levam a perguntar sobre as parcerias amorosas, sobre os destinos do amor no homem e na mulher.
Amar seria mais difícil para os homens?

50 anos do golpe contra o Brasil

Vídeo com Luis Fernando Carrijo

Concepção: MetaDonna

A euforia da violência!

Vídeo de Rua IV

Concepção: Elizabeth Medeiros e Lilany Pacheco

Um amor surpreendente!

Vídeo: O amor pós análise

Concepção: MetaDonna

Um instante mais, e...

Ondina Machado

Gosto muito de uma situação relatada por Luiz Eduardo Soares no livro Cabeça de porco[1] onde conta que, num momento em que se vivia uma onda de violência no Rio, uma senhora estava subindo no elevador de um grande prédio comercial quando "um rapaz negro, com aspecto de pobre" entrou. Ela foi tomada de grande aflição, achando que iria ser assaltada. O rapaz desceu poucos andares depois sem que nada acontecesse. Mesmo assim, a senhora relatou sua experiência para as amigas: "Você não imagina o que me aconteceu, quase fui assaltada."

Do encontro traumático original

Nancy Greca Carneiro [1] [2]

A violência como um objeto elevado à dignidade da coisa.
Violência e trauma: Que importância para a clínica hoje?
Da salvação pelos dejetos e da salvação pelo ideal.

Será destas articulações entre o generalizado e o singular que tratará o XX Encontro da EBP: Trauma nos corpos, violência nas cidades. [3]

Trauma e Psicanálise


duscumpadi
Bartyra Ribeiro de Castro[1]

Quando Freud, no final do séc. XIX, descobriu o inconsciente, ele o fez a partir do trauma. Para a psicanálise, o trauma funda a história de cada um de nós, nossa constituição psíquica, nossa realidade. Desde o ‘Projeto para uma psicologia científica’, Freud já ressaltava a importância do trauma, traduzido pelo efeito da perda em relação à primeira experiência de satisfação e o impossível reencontro com esta.

Aqui entre nós é tudo gente boa!


Nesse instante, reparei que já não tinha as algemas;
porém, não pude lembrar nem quando,
nem como as tinham tirado. (Victor Hugo)

Trauma: intercessão entre o público e o privado?

Arthur Bispo do Rosário: Arte além da loucura
Frederico Morais, 2013, Nau Editora
duscumpadi
Ana Stela Sande

Desde o inicio do ano, estamos no Núcleo de Psicose do Instituto de Psicanálise da Bahia, tentando dar conta do tema proposto para o XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano e da sua relação com a psicose.

Preparatórias


3º Encontro de Psicanálise do Vale do São Francisco
Trauma e Ato
10 e 11 OUT

Convidada:
Ana Lúcia Lutherbach

Local:
Auditório Biblioteca  UNIVASF
Petrolina PE

Incrições:
Colegiado de Psicologia da UNIVASF
(87) 2101-6868

Ressonâncias

Programação setembro e outubro da EBP-BA