16/07/2014

Bibliografia: Referências de Termos Cardinais

  1. Trauma
FREUD, Sigmund. Sobre o mecanismo psíquico dos fenômenos histéricos: Comunicação Preliminar (1893). In: Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, v. II. Rio de Janeiro: Imago, 1980, p. 41-53.
FREUD, Sigmund. Carta 69, 21 de setembro de 1897). In: Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, v. I. Rio de Janeiro: Imago, 1980, p.357-359.
FREUD, Sigmund. As neuropsicoses de defesa (1894). Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. III. Rio de Janeiro: Imago, 1987, p. 51-72.
FREUD, Sigmund. Projeto para uma psicologia científica (1895). Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. I, Rio de Janeiro: Imago, 1990, p. 387-529.
FREUD, Sigmund. Observações adicionais sobre as neuropsicoses de defesa (1896). Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. III Rio de Janeiro: Imago, 1987, p. 151-173.
FREUD, Sigmund. Recordar, repetir e elaborar (1914). Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. XII. Rio de Janeiro: Imago, 1969, p. 191-203.
FREUD, Sigmund. Fixação em traumas: o inconsciente (1917). In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. XVI. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 323-336. (Texto que serviu de referência ao Argumento, especialmente no Eixo sobre o trauma e a diferença sexual).
FREUD, Sigmund. Os caminhos da formação dos sintomas (1917). In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. XVI. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 419-441.
FREUD, Sigmund. Introdução à psicanálise e as neuroses de guerra (1919). Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. XVII. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 257-270.
FREUD, Sigmund. Inibições, sintoma e ansiedade (1926). In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. XX. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 95-203.
LACAN, Jacques. Le séminaire. Livre XXI: le non-dupes errent. Lição de 19 de fevereiro de 1974 (inédito). (Texto em que aparece o termo termo troumatisme, onde se conjugam trou (furo) e traumatismo, traumatisme).
LACAN, J. Le malentendu. Ornicar?, nº 22-23, 1980, p. 11-14. (Texto fundamental, no qual Lacan aborda o termo “traumatismo” concernente ao falasser, articulando “trauma”, “ser desejado”, “parceria sexual” e “nascer de um mal-entendido”).
LA CAUSE DU DÉSIR: Les traumatismes dans la cure analytique, n. 86, Paris, Navarin Éditeur.
SANTIAGO, Ana Lydia. Trauma, angústia e as neo-inibições. Opção Lacaniana, n. 45, maio 2006, pp 35-40.
VERAS, Marcelo. La era del trauma. Virtualia, revista digital da EOL, n. 11/12, diciembre, 2004. Acesso por internet em 15 de junho de 2014: http://virtualia.eol.org.ar/012/default.asp?notas/veras-01.html
  1. Diferença sexual
FREUD, Sigmund. Um tipo especial de escolha de objeto feita pelos homens (Contribuições à psicologia do amor I, 1910). In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. XI. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 149-162.
FREUD, Sigmund. Sobre a tendência universal à depreciação na esfera do amor (Contribuições à psicologia do amor II, 1912). In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. XI. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 159-174.
FREUD, Sigmund. A sexualidade feminina (1931). In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. XXI. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 257-282.
FREUD, Sigmund. Feminilidade (1932). In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, v. XXII. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 139-166.
LACAN, J. A significação do falo (1958). In: Escritos. Rio de Janeiro: Zahar, 1998, p. 692-703.
LACAN, J. Diretrizes para um Congresso sobre sexualidade feminina (1958). In: Escritos. Rio de Janeiro: Zahar, 1998, p. 734-748.
LACAN, Jacques. O seminário. Livro 10: a angústia. (1962-1963). Rio de Janeiro: Zahar, 2010. (Lições XIII a XV, XVIII a XXIII).
LACAN, Jacques. O seminário. Livro 19: … ou pior (1971-1972). Paris: Zahar, 2012.
LACAN, Jacques. O seminário. Livro 20: mais, ainda (1972-1973). Paris: Seuil, 1985. (Lições V a XI). (Texto que serviu de referência ao Argumento, especialmente no que concerne à “inexistência da relação sexual” e à concepção do “gozo”como “substância que se imiscui nos corpos”).
LACAN, Jacques. A Terceira. Opção Lacaniana, n. 62, dezembro de 2011, p. 11-36.
LACAN, J. Le séminaire de Jacques Lacan: R.S.I. (1974-1975). Leçon du 21 de janvier 1975. In: Ornicar ?, n. 3, mai 1975, p. 104-110. (Lição do dia 21 de janeiro de 1975)
  1. Sinthoma
LACAN, Jacques. O Seminário. Livro 23: o sinthoma, Rio de Janeiro: Zahar, 2007. (Texto que serviu de referência ao Argumento, especialmente no que concerne ao “savoir y faire” concernente ao sinthoma).
LACAN, Jacques. Conferência em Genebra sobre o sintoma. Opção Lacaniana, n.23, dezembro de 1998.
MILLER, Jacques-Alain. Perspectivas do seminário 23 de Lacan. O sinthoma. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.
MILLER, Jacques-Alain. Perspectivas dos escritos e outros escritos de Lacan. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.
  1. Violência
ALEPH: Violência e agitação dos corpos, revista da Delegação Paraná da Escola Brasileira de Psicanálise, n. 4, maio 2014.
BARROS BRISSET, Fernanda Otoni. Juventude e violência urbana. In: ALVARENGA, Elisa, CARDENAS, María Hortensia e FAVRET, Enia.  A variedade da prática. Rio de Janeiro: Contracapa, 2007, p. 83-90.
BILL, MV e ATHAYDE, Celso. Falcões, meninos do tráfico. Rio de Janeiro: Objetiva, 2006.
BUARQUE DE HOLLANDA, Heloísa. O declínio do efeito “Cidade Partida”. Revista Carioquice, n. 1, abril/maio/junho de 2004. Acesso à internet 15 de junho de 2014: http://www.heloisabuarquedehollanda.com.br/o-declinio-do-efeito-cidade-partida/ (Texto no qual é problematizado, com base na difusão do funk carioca, a expressão “cidade partida” consagrada por Zuenir Ventura. Importante assinalar que Heloísa Buarque de Hollanda vai participar, no XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano, de uma “roda viva”com psicanalistas da Escola Brasileira de Psicanálise).
BUARQUE DE HOLLANDA, Heloísa. A questão agora é outra. Acesso à internet 15 de junho de 2014: http://www.heloisabuarquedehollanda.com.br/a-questao-agora-e-outra/
GARCIA, Célio. La víctima, su vez, su voz. Virtualia . Revista digital da EOL, n. 10/11, diciembre 2004. Acesso à internet em 15 de junho 2014: http://virtualia.eol.org.ar/012/default.asp?notas/garcia-01.html
LACAN, Jacques. O seminário. Livro 5: as formações do inconsciente (1957-1958). Rio de Janeiro: Zahar, 1999, p. 468-484. (Lição na qual Lacan estabelece uma diferença importante entre “agressividade” e “violência”, mencionada no argumento do XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano)
LAIA, Sérgio. Considerações psicanalíticas sobre a violência urbana, Latusa revista digital, n. 40/41, março e junho de 2010. Acesso à internet 15 de junho de 2014: http://www.latusa.com.br/pdf_latusa_digital_40_41_a5.pdf
LAIA, Sérgio. Demissão do pai, domínio da mãe e violência urbana. Revista Agente Digital, n. 4, dezembro de 2007. Acesso à internet 15 de junho de 2014: http://www.institutopsicanalisebahia.com.br/agente/04/agente_digital_04.pdf
MACHADO, Ondina Maria Rodrigues e DEREZENSKY, Ernesto. A violência: sintoma social da época. Belo Horizonte: Scriptum/EBP, 2013.
RÊGO BARROS, Romildo. A violência e os seus limites. Opção lacaniana on-line. nova série, ano V, março 2014. Acesso à internet em 15 de junho de 2015: http://www.opcaolacaniana.com.br/texto2.html
SOARES, Luiz Eduardo, BILL, MV e ATHAYDE, Celso. Cabeça de porco. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005.
SOARES, Luiz Eduardo. Singularidade, lei e gozo: conferência no V ENAPOL. Correio, EBP, n. 70, dezembro de 2011, p.77-85.
VENTURA, Zuenir. A cidade partida. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. (Livro a partir do qual se consolida a expressão “cidade partida”, de grande importância para as discussões sobre a violência urbana no Brasil).
VENTURA, Zuenir. Chico Mendes: crime e castigo. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
VERAS, Marcelo. O dizer impossível da violência. Latusa, Escola Brasileira de Psicanálise-Rio de Janeiro, n. 09, outubro de 2004, p. 45-54.
  1. Sobre a relação da extensão com a intensão em psicanálise
BASSOLS, Miquel. Psicoanálisis en intensión y extensión: los tres puntos de fuga. Psicoanalisis lacaniano (Blog). Acesso a internet em 15 de junho de 2014: http://psicoanalisislacaniano.blogspot.com.br/2007/09/psicoanlisis-en-intensin-y-en-extensin.html (Texto de referência para o Argumento do XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano, no que concerne à articulação do que se passa na “hiância” mais íntima da experiência analítica e o “horizonte” da “psicanálise em extensão”).
LACAN, Jacques. Proposição de 9 de outubro de 1967 sobre o psicanalista na Escola. Outros escritos. Rio de Janeiro: Zahar, 2003, p. 248-264. (Texto fundamental, para o Argumento do XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano, no que concerne à articulação do que se passa na “hiância” mais íntima da experiência analítica e o “horizonte” da “psicanálise em extensão”).
MILLER, Jacques-Alain. El deseo del analista. In: El banquete de los analistas. Buenos Aires: Paidós, 2000, p. 45-62. (Lição fundamental para o Argumento do XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano e muito esclarecedora do que Lacan designa, na ‘Proposição de 9 de outubro de 1967...”, como “extensão” e “intensão” em psicanálise).

Informações sobre apresentação de trabalhos
Até o dia 7 de setembro de 2014, os textos deverão ser enviados para a Comissão Científica (email: xxebcf.cientifica@gmail.com). Solicita-se que cada texto se oriente por um dos Eixos Temáticos explicitados acima e que o indique logo em seguida ao título. O número máximo de caracteres é 6000, incluindo espaços e notas, na fonte Times New Roman. A precisão, a clareza conceitual, a articulação com um Eixo Temático, o limite de caracteres serão as principais referências da Comissão Científica para a escolha dos textos que vão compor as Mesas Simultâneas. 
Ao enviar um texto, quem o redigiu precisa já ter se inscrito como participante do XX Encontro Brasileiro do Campo Freudiano. Inscrições »